fbpx

[GUIA COMPLETO] Entenda a Fatura Do Seu Cartão De Crédito

Tempo de leitura: 7 minutos

A fatura do cartão de crédito possui várias informações que parecem simples, mas que podem gerar uma dúvida ou outra. Acontece com você?

Algumas dúvidas comuns, por exemplo, estão relacionadas com o valor total da fatura a ser paga e o pagamento mínimo, a diferença entre data de vencimento e fechamento da fatura, além dos  encargos cobrados. 

Para sanar essas e outras dúvidas, preparamos este artigo com tudo o que você precisa saber na hora de pagar a fatura do seu cartão. 

Não perca essa leitura!

Como entender a fatura do cartão de crédito?

Existem vários itens e termos na fatura do cartão de crédito, e eles podem variar de uma instituição financeira para outra. Porém, há pontos que são muito comuns na maioria dos cartões mais utilizados entre os brasileiros. Vamos explicar as principais informações. Confira:

Número do cartão

Neste campo, você confere o número do cartão de crédito, mas, por questão de segurança, a maioria das faturas só revela os primeiros e/ou os últimos dígitos. Assim, caso o cliente perca a fatura impressa ou encaminhe a fatura eletrônica por engano, não há como alguém ter acesso à sequência para cometer algum tipo de fraude ou golpe utilizando o seu cartão.

Vencimento

O vencimento é a data limite em que você deve fazer o pagamento. Por exemplo: se a fatura vence todo dia 12, você pode pagar antes do vencimento sem nenhum problema. É importante atentar-se para não perder a data, pois, se houver atrasos, você terá que arcar com diversos encargos: multas, IOF (tributo federal chamado Imposto sobre Operações Financeiras) e juros. Vamos falar adiante sobre esses itens também.

Importante: se o vencimento estiver previsto para um final de semana ou feriado nacional, você tem o direito de pagar no próximo dia útil, sem precisar arcar com encargos por atraso, como multa e juros.

Data de fechamento

É o dia de fechamento da fatura. Vamos utilizar o exemplo do vencimento no dia 12 mais uma vez: nesses casos, a fatura deve informar que o fechamento ocorre no dia 2 e, assim, a melhor data para compra é no dia seguinte, dia 3, pois as compras feitas a partir dessa data só serão contabilizadas na fatura do mês seguinte, e não naquela que acabou de fechar.

Para não confundir mais: a data de fechamento é o dia em que a sua fatura se encerra e a data de vencimento é o dia que você precisa pagá-la. 

Total da fatura

Esse é o valor que deve ser pago integralmente, ou seja, são os gastos totais daquele mês. O total, geralmente, vem escrito no centro da folha ou destacado de alguma forma, seja em negrito ou em letras maiores. Portanto, o maior valor é o resumo do tanto de crédito que você precisou utilizar naquele mês. 

Encargos

Os encargos são as taxas, multas, juros e IOF cobrados em muitas situações, mas os principais são: quando houver atraso no pagamento da fatura; quando optar pelo pagamento mínimo; quando parcelar alguma fatura; quando você solicita análise de crédito emergencial; quando faz saque do limite; quando realiza uma compra internacional.

Cada tipo de serviço cobra um valor diferente e depende da regulamentação do Banco Central e das regras de cobrança do seu banco. Você pode conferir o valor de cada um dos serviços disponibilizados diretamente no contrato do seu cartão. Também é possível encontrar essas informações nos sites dos bancos.

Pagamento mínimo

Não é à toa que muitas pessoas confundem o “pagamento mínimo” com o “total da fatura”, pois as informações ficam bem próximas uma da outra. Por isso, todo cuidado é pouco para não fazer confusão. 

Essa opção deve ser o último cenário a ser considerado, por isso, só deve ser escolhida quando você realmente não tiver o dinheiro todo para o pagamento e, assim, evitar que seu nome vá para o SPC ou Serasa, que são birôs de crédito. 

Não se esqueça: ao pagar o mínimo estabelecido, o valor restante será cobrado na próxima fatura, junto com outras parcelas a vencer.

Sobre o pagamento mínimo, é importante reforçar, ainda, que é como se o banco estivesse te dando um “empréstimo” referente ao valor que você não quitou da fatura, ou seja, quando o valor é cobrado na fatura seguinte, ele vem somado a uma taxa de juros e IOF, o que acaba aumentando bastante a quantidade de encargos no fechamento da próxima fatura.

Entretanto, entre pagar o mínimo e não pagar nada, é melhor pagar o mínimo. Procure, na medida do possível, alternativas para que você consiga pagar pelo menos o mínimo da sua fatura. Aqui você encontra dicas de como fazer uma renda extra para momentos como este.

Parcelamento da fatura

Você sabia que é possível parcelar o valor da sua fatura? 

Funciona assim: o valor da fatura atual será parcelado em algumas vezes (conforme a sua preferência) e você pagará o valor da primeira parcela na data do vencimento da fatura atual e as demais parcelas, nos meses seguintes.

Vale ressaltar que essa opção é como um financiamento” da fatura atual e, por isso, é importante calcular que, além dessa fatura, virão as outras compras que já haviam sido parceladas no cartão. 

Obviamente essa facilidade vem com um preço: é cobrada uma taxa de juros alta, mas que costuma ser mais baixa que o cheque especial e o rotativo do cartão (cobrado quando você paga o mínimo ou não paga nada da fatura).

Histórico das despesas

Nessa parte da fatura é possível conferir o resumo do que foi comprado no mês, sendo uma das informações mais importantes para conferir. É o momento de ver quais compras foram realizadas, parceladas, isto é, todas as transações feitas no período, sejam nas lojas físicas ou online

Além disso, os eventuais juros, encargos e multas cobrados por algum atraso, pagamento mínimo e a anuidade serão descritos nessa parte. É muito importante acompanhar o histórico de despesas e verificar se não há nada lançado a mais ou que você não reconhece a procedência.

Isso porque, infelizmente, acontecem muitos golpes de cartão de crédito. Você provavelmente conhece alguém que já teve o cartão clonado. Por isso, verifique com cuidado cada cobrança.

Às vezes fica difícil identificar a origem da cobrança, pois o nome listado não é, exatamente, o nome do estabelecimento. Tente fazer associações com comprovantes que você possui, a data da compra ou até mesmo pesquisar na internet sobre o nome que consta na fatura.

Parcelas a vencer

São as compras parceladas que estão por vir nos próximos meses. Nesse item é possível conferir tudo o que você ainda deve pagar no cartão de crédito. 

Atentar-se a esse campo permite que você faça seu planejamento financeiro, levando em conta as dívidas que ainda tem para quitar.

Limite de compras e de saque

O limite de compras é o valor total que você tem disponível para utilizar em seu cartão de crédito. É importante entender que o valor disponível no mês diminui à medida que você utiliza o crédito, por isso, deve sempre consultar o limite para saber se pode ou não usar o cartão. 

Muita gente, inclusive, já solicitou a “análise de crédito emergencial” para ter acesso a um limite maior no momento da compra. Essa é uma funcionalidade permitida por diversos bancos, e é bastante cara, devendo ser usada apenas em situações extraordinárias. Exemplo: a geladeira da sua casa quebrou. Você precisou comprar uma nova, mas não tem uma reserva de emergência para fazer uma compra à vista e precisará parcelar, mas não possui limite disponível no seu cartão.

Já o limite de saque é o quanto você pode retirar em dinheiro, mas esse é um serviço que nem todos os cartões disponibilizam. Não se esqueça que geralmente há uma taxa de utilização.

Programa de fidelidade ou pontuação

Se você faz parte de um programa de fidelidade, que geralmente acumula pontos que podem ser trocados por prêmios, como milhas aéreas, é nesse campo que você confere a sua pontuação e se já pode resgatá-la.

Caso esse não seja o seu caso, há outras práticas que podem gerar benefícios para sua conta ao pagar sua fatura integralmente na data de vencimento prevista, como o aumento do limite de crédito.

Sinal de menos (-) na fatura 

Na maioria das vezes, quando este sinal aparece, significa que: ou o pagamento daquele item já foi feito ou a cobrança do valor foi cancelada, ação conhecida como estorno do valor da compra. Em outras palavras, é um valor que não foi incluído no total da fatura.

Percebeu como não é difícil entender a fatura do seu cartão de crédito? 

Como negociar sua dívida de cartão de crédito

Infelizmente, não é incomum que uma fatura se torne uma dívida ativa. Afinal, segundo os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 87% das famílias brasileiras possuem dívidas de cartão de crédito

Por isso, o limite de crédito, que pode ser um grande aliado na hora das compras, deve ser usado com consciência para  não se tornar um vilão devido à falta de planejamento financeiro. 

Se essa é a sua situação, não entre em desespero, pois existem soluções para liquidar dívidas bancárias com até 99% de desconto nos encargos ocasionados pelo atraso. A Acerto é uma fintech no ramo de cobranças — que faz parte do Grupo Inter — parceira de grandes instituições financeiras e disponibiliza a possibilidade de uma negociação amigável, segura e 100% online.

Até 2023, a Acerto já concedeu mais de R$5 bilhões de reais em descontos na negociação digital de dívidas, inclusive bancárias. Aos poucos esses números vão mudando essa estatística de inadimplência. 

Se você desejar consultar seu CPF para saber se possui alguma dívida com um dos parceiros disponíveis no site da Acerto, não deixe de acessar, pois não é necessário qualquer acesso premium e a consulta, bem como a simulação de um acordo, é totalmente gratuita.

5 dicas para evitar armadilhas comuns ao usar o cartão de crédito

  1. Faça um planejamento mensal. É importante planejar o mês pensando na renda da família e não considerar o limite de crédito como um “salário”, isto é, um dinheiro a mais para gastar. Hoje em dia é ainda mais fácil, pois temos a Inteligência Artificial para nos ajudar nessa missão. 
  1. Entenda as taxas associadas ao seu cartão. Caso você desconheça alguma cobrança nas suas faturas, não exite em entrar em contato com o seu banco para tirar dúvidas. Há algumas taxas, inclusive, como anuidade, que podem ser negociadas. Inclusive, já existem inúmeros bancos que não cobram taxas de anuidade e que ainda oferecem programas de recompensa para pagar a fatura em dia, como cashback ou pontos. 
  1. Faça lembretes para as datas de vencimento. Uma forma de não pagar juros por atraso na fatura é usar recursos para não te deixar esquecer de realizar o pagamento. Essa prática pode parecer simples, mas faz toda diferença, afinal, quem nunca esqueceu de pagar a fatura, não é mesmo?
  1. Analise regularmente suas transações para identificar atividades suspeitas. O que fazer em caso de não reconhecimento de uma compra na sua fatura? Se você gosta de fazer compras online, a primeira dica é ativar a função do cartão virtual com data de expiração, assim, você pode adquirir seus produtos com a tranquilidade de que seus dados bancários não irão cair em cilada. Caso identifique uma fraude ou suspeite da clonagem do seu cartão físico ou virtual, entre em contato imediato com o seu banco e realize o bloqueio no seu aplicativo ou internet banking
  1. Evite emprestar seu cartão. Ao emprestar o seu cartão de crédito e contrair uma dívida, infelizmente, ela irá prejudicar apenas a reputação do seu CPF, portanto, o ideal é que o cartão seja de uso pessoal para que as responsabilidades financeiras estejam atreladas somente a uma pessoa física. 

Gostou do nosso guia, mas ainda ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre assuntos que envolvem as finanças? 

Você pode se inscrever na nossa newsletter e nos seguir no Instagram para mais dicas financeiras e, caso esteja com dívidas, pode negociar com condições facilitadas

Esse artigo foi útil?
[Total: 5Média: 5]

Tags relacionadas

Leandro Jesus

Você pode gostar também